Qual o significado do véu da noiva?

Quando se fala em casamento, a imagem que imediatamente vem à nossa mente é de uma noiva toda vestida de branco, com direito a um véu esplendoroso e exuberante.

Essa figura é a que mais nos aproxima da simbologia de um casamento ocidental, e é claro que cada um desses elementos possui um significado especial para compor a cerimônia. O véu é um dos itens mais tradicionais de uma noiva, mas você sabe o que ele de fato significa?

Entre todos os acessórios utilizados para compor o look de uma noiva clássica, o véu é uma das peças mais importantes. O item já foi usado por mulheres de diferentes culturas ao longo da história, e já foi símbolo de inúmeros conceitos, como virgindade, modéstia e submissão.

A verdade é que com o véu o visual da noiva fica ainda mais tradicional e encantador. Confira a seguir qual é o verdadeiro significado do véu da noiva.

O véu na antiguidade

O uso do véu aparece em diversos momentos e contextos da história. Por isso, não há um consenso exato a respeito de como ele surgiu.

Na cultura oriental, o véu era usado devido a uma associação com Ishtar, considerada na Mesopotâmia como a deusa da fertilidade e da primavera, e cuja mitologia está relacionada à origem da Dança dos Sete Véus. Posteriormente ela também foi assumida na mitologia nórdica como Easter, Deusa do Amor. Ela teria sido a primeira mulher a usar um véu, elemento que nessa época remetia a questões como fertilidade e sedução.

O uso do véu antigamente
O uso do véu antigamente

Não demorou muito até que o uso do véu se tornasse um costume também para as mulheres mortais dos povos da Babilônia e Mesopotâmia, chegando mais tarde até os gregos.

Na Grécia Antiga, o véu era usado no dia do casamento para proteger a noiva da inveja das moças solteiras e do olhar de admiradores que não o próprio noivo.

Muitas das tradições e superstições ligadas à cerimônia de casamento advém dessa crença pagã, que teve origem na Grécia Antiga. Nessa época, acreditava-se que a noiva era o alvo principal dos maus espíritos, e por isso era preciso que ela cobrisse o rosto com panos e fosse acompanhada por mulheres vestidas de maneira semelhante a ela. Isso ajudaria a confundir os maus espíritos, garantindo então a sua proteção. Essa tradição deu origem às damas de honra.

Foi dessa mesma forma que nasceu a tradição de prender diversos utensílios de metal (como canecos, por exemplo) à carruagem nupcial, também com o objetivo de afugentar os maus espíritos.

O véu servia como uma espécie de proteção
O véu servia como uma espécie de proteção

Anos depois, esse costume veio a ser incorporado pela cultura romana, e a partir de então passou a difundir-se por todo o mundo. As noivas romanas pertencentes à nobreza faziam uso de um longo véu em tons de amarelo ou vermelho, que cobria todo o seu corpo.

Batizado de Flammeum, esse véu também possuía o objetivo de proteger a mulher de maus espíritos.

Véu Flammeum
Véu Flammeum

A mitologia greco-romana liga o uso do véu e a origem de seu nome à Deusa Vesta, que era considerada a protetora do lar em sua cultura.

Na Idade Média, o véu passou a ser usado como uma parte do vestuário feminino da nobreza, protegendo a pele e os cabelos do sol e vento, e até mesmo de insetos.

Esse item era de uso exclusivo de mulheres casadas pertencentes à elite, e seu tamanho era proporcional à riqueza da família. Por conta disso, as camponesas não tinham permissão para usá-lo. Talvez seja essa a origem do desejo das noivas contemporâneas mais tradicionais por enormes véus para o dia do seu casamento.  

A tradição do véu branco

A principal responsável pela popularização do uso da composição de vestido branco, véu e grinalda no dia do casamento teria sido a Rainha Vitória, do Reino Unido.

A responsável pela tradição milenar
A responsável pela tradição milenar

Ao casar-se com seu primo Albert e fazer uso desses elementos combinados durante a cerimônia, ela provavelmente não imaginava que estava inaugurando uma tradição milenar entre as noivas do mundo todo.

Para casar uma de suas filhas, a rainha teria encomendado uma música ao compositor Felix Mendelssohn, o que veio a se tornar conhecido mundialmente e eternizado como a tradicional Marcha Nupcial.

O véu nas religiões

Nos últimos séculos, o uso do véu esteve intimamente ligado a costumes religiosos. Apesar de sua origem ser atribuída à Mesopotâmia, no livro Gênesis, da Bíblia, já é possível encontrar relatos a respeito do uso desse elemento, como quando Rebeca se cobre com um véu quando se aproxima de Isaac, que viria a ser o seu marido.

Quando o cristianismo surgiu, o uso do véu já estava amplamente enraizado em diversas culturas ao redor do globo. Esse costume foi então ressignificado, e passou a ser interpretado como um sinal de castidade e modéstia.

O uso do véu passou a ter vários significados
O uso do véu passou a ter vários significados

Nas religiões judaica e islâmica, o uso do véu já havia sido adotado desde a antiguidade, em cerimônias religiosas e/ou ocasiões sociais. A tradição diz que, antes do casamento, o pai deve abaixar o véu sobre o rosto da filha, e ao entregá-la ao noivo, este deve levantar o adereço.

Muitos dizem que essa tradição serve para que o noivo certifique-se de estar casando com a noiva certa. De acordo com o Gênesis, quando Jacó foi casar-se com Raquel, seu sogro Labão o enganou para que se casasse com Léa, a irmã mais velha de Raquel.

Posteriormente, há o costume do noivo colocar novamente o véu sobre o rosto da noiva para que ele ou o rabino conceda uma bênção, ou, ainda, para fazer uma promessa implícita de protegê-la.

Em árabe, a palavra “véu” se diz “hijab”, que significa “o que separa duas coisas”, representando a separação para a noiva da vida de solteira para a vida de casada.

hijab
hijab

Em diversas outras culturas, também se usa o véu para cobrir o rosto da noiva até o final da cerimônia, quando então é permitido ao noivo levantá-lo e por fim conhecer o rosto da sua esposa. Essa seria uma forma de reconhecimento de que o casamento acontece devido à beleza interior da noiva, e uma prova de que, apesar de a beleza ser efêmera, o amor do casal será eterno.

O véu também aparece na bíblia nas representações de Maria, mãe de Jesus, o que remete a ideia de sagrado.

Mantilha

A Mantilha é um adereço muito semelhante ao véu, que teve origem na Espanha. Esse item simboliza a humildade, beleza e pureza da noiva.

Apesar da semelhança entre o véu e a mantilha, há alguns detalhes que os diferenciam. A mantilha leva renda em suas extremidades, e é comumente fabricada a partir de tecidos mais pesados do que os que compõem o véu.

Véu Mantilha
Véu Mantilha

A tradição da mantilha é mais rica do que a do véu, que, por sua vez, tem o seu uso um tanto quanto esvaziado de sentido atualmente. A mantilha é tradicionalmente passada de geração para geração, de mãe para filha, o que garante um significado ainda mais rico e precioso para a noiva que irá usá-lo.

A peça deve ser colocada da maneira correta sobre a cabeça da noiva, de forma a cobrir os seus cabelos e ombros.

Hoje em dia

Na igreja católica, o uso do véu era comum até a década de 1960. Atualmente, o seu uso já não é mais obrigatório, e cabe a cada noiva decidir se irá ou não complementar seu visual com um véu.

Segundo o que consta na bíblia, o véu significaria a honra e a dignidade das mulheres, considerado também um sinal de subordinação da mulher ao marido. Mais recentemente, no Ocidente, o véu já foi também um símbolo da virgindade da noiva. Hoje, essa representação pode ser considerada sexista, pois a virgindade e a submissão feminina já deixaram de ser uma imposição social.

Imagem relacionada

A escolha de usar ou não um véu depende muito do estilo da noiva e do casamento. Porém é fato que todo o simbolismo e tradição em torno da sua história contribui e muito para reforçar ainda mais a importância e formalidade do casamento como um dia especial e único.

Além do mais, o véu ajuda a realçar a feminilidade da noiva, dando um toque clássico e romântico ao seu visual. Se você deseja ter uma cerimônia de casamento que seja de fato fiel às tradições, não pode deixar o véu de lado!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Quando a noiva não tem pai quem entra com ela? Vestido para mãe da noiva: qual a cor ideal? Vestido de noiva: comprado, alugado ou sob medida? Vestido para mães dos noivos: um para cada estação Vestido para a mãe da noiva: como deve ser?